25 de fevereiro de 2015

TBT: Estudando em NY no verão. Curso de férias é tudo!

Uma querida amiga me disse que seria interessante falar aqui no blog sobre a experiência que tive em 2013 de fazer um curso de um mês em NY pois poderia ajudar outras pessoas que trabalham com moda, então curti a ideia e resolvi compartilhar a minha experiência. Aproveitando a onda do TBT (Throw Back Thursday) que instituiu a quinta-feira como o dia para celebrar o passado, resolvi publicar este post numa quinta.

Naquela época, eu precisava espairecer e, de verdade, queria mesmo era um tempo fora do país, preferencialmente em NY, a minha cidade preferida :) Aí pesquisei sobre cursos de verão por lá e descobri coisas incríveis.

A primeira é que existem diversos cursos de todos os assuntos possíveis. E em faculdades ótimas. A NYU oferece cursos em várias áreas (e já está com a programação para este ano aberta), a incrível Parsons também disponibiliza uma série de cursos focados em moda, mas exige teste TOELF (nota mínima 79 pontos) e custam um pouco caro (cerca de 3 mil dólares).

A melhor opção que encontrei foi na FIT (Fashion Institute of Technology) que é uma faculdade simplesmente incrível! De verdade!

Lá me inscrevi para o curso Global Fashion Business e todos os cursos lá são vinculados com o ESL (English as a Second Language), cursos que são subsidiados e visam ensinar inglês a estrangeiros. Na prática, este tipo de curso tem 2 vantagens: não exige testes prévios como TOEFL ou similares e custam barato. Todos os custos têm um preço bem parecido (em torno de 1.100 dólares) para 4 semanas de aula de segunda a quinta, das 08 às 17h (com intervalo de almoço de 2h). A sexta-feira é livre mas eles programam atividades educacionais gratuitas para os alunos. Eu participei só de uma, que foi uma visita ao MET para ver a exposição PUNK. Mas em uma sexta eles levaram os alunos de ônibus até o outlet fora de NY, acredita?!

Minha carteira de estudante, que dá desconto em vários lugares!

Por ser estudante lá, eles te dão uma carteirinha que vale para todos os espetáculos. Lá não é como no Brasil, com uma lei que obriga o desconto de metade do preço para todos os shows, cinema, etc. Mas sempre dá um descontinho de 2 ou 3 dólares em quase todos os lugares e, para diversas peças da Broadway, eles oferecem alguns assentos exclusivos para estudantes a preços ótimos (cerca de 40 dólares). Eu assisti a uma peça sensacional chamada The Nance e só consegui ver por causa desta carteira linda :)

Na parte da manhã era um curso de inglês e na parte da tarde o curso de moda. Como eu já falo inglês bem, eu ia desencanar do curso mas descobri lá que a presença é obrigatória e não podemos ter mais de 20% de faltas se quisermos voltar para casa com um certificado. Eu quis e fiquei controlando  para não estourar.

Mas não foi nenhum sofrimento fazer as aulas não! Eles fazem um esquema bem legal para montar as classes. No primeiro dia, eles entrevistam um a um todos os alunos (em 2013, foram cerca de 130 no total) e dividem em classes de 15 alunos, todos com nível de inglês semelhante. Eles não classificam em níveis para as pessoas não ficarem frustradas (o que achei bem legal) e o nível das pessoas é realmente parecido.

A minha sorte é que eu estava numa classe super avançada, então não tinha muita lição. Eram mais exercícios de cultura e conversação, o que fez com que as aulas fossem super divertidas. E a minha professora era ótima, super didática e, como ela era uma jornalista freelance do NY Times, ela deu várias dicas boas sobre como escrever bem em inglês.

Neste curso eu pude fazer atividades como visitar o Memorial do 11 de setembro, aula de escrita criativa com a escritora Jamie Cat Callan que escreveu uma série de livros sobre as mulheres francesas e até brincadeira de fazer roupa com jornal! Olha que fofas as fotos:

A classe e a escritora Jamie Cat Callan

Eu, de modelo para uma jaqueta biker feita de jornal :)

Já o curso de moda teve os seus altos e baixos. A professora era meio mala e exigia uma dedicação que ninguém tá muito disposto a dar num curso de verão. Além disto, ela tinha um sério problema de não aceitar outros pontos de vista, o que fez com que esta parte do curso que eu achava que seria ótima, não fosse muito legal. Mas, tive algumas palestras que foram muito boas e valeram o curso. Tive até uma tarde de visita ao escritório do WGSN para entender como eles pesquisavam tendência em NY. Super demais! Na última aula, tínhamos que apresentar um trabalho em grupo, o que também foi legal.

Dia de visita ao WGSN em NY

Eu e meu grupo apresentando o trabalho final

As turmas tinham estudantes de todos os países mas a maior parte deles era advinha de onde?! Do Brasil, claro! E da China! Os dois países tinham cerca de metade dos alunos. A outra metade era bem dividida com estudantes da Suécia, Russia, Japão, Uruguai, etc.

Agora, o que chamou muito a minha atenção foi a estrutura da faculdade. Até para quem vai passear em NY vale a pena passar pela FIT para ir, pelo menos, ao museu de moda. Pequeno mas super interessante. A biblioteca deles tem, pasmem, TODAS as edições impressas da VOGUE e da HARPER's BAZAAR desde os anos 30! À disposição para consultarmos e fotografarmos. Um sonho! Descobri que a estrutura é tão boa assim porque a FIT era, originalmente, da NYU e se separou da faculdade para focar em moda e design. Legal, né?!


As revistas VOGUE desde 1934 disponíveis em estantes!

Apesar do baixo custo do curso, temos que considerar dois outros custos relevantes numa empreitada como esta: a passagem e a estadia. A passagem é sempre cara porque o curso começa na última semana de junho e acaba na última semana de julho. Eu lembro que eu paguei uns 1600 dólares. Isso comprando com uns 4 meses de antecedência. Mas é época de férias, então não tem muito jeito.

Para o custo de moradia eles oferecem uma boa solução: morar na faculdade por cerca de 1600 dólares para as 4 semanas. E dá direito a descontos bons nas refeições no restaurante da faculdade e acesso à academia. Mas este preço é para você dividir o quarto. Se quisesse ficar sozinho no quarto, o preço sobe para uns 2200 dólares, o que não é caro também. Mas você fica sozinho no quarto e não no apartamento que você divido com outro quarto que pode ter uma ou duas pessoas.

A FIT fica no Chelsea, então o lugar é incrível! Mas, como eu não tenho muita paciência para dividir espaço com estranhos, optei por alugar um apartamento no AirBnB. E olha, foi a melhor coisa que eu fiz! Consegui um apartamento de 1 dormitório bem fofo por cerca de 2 mil dólares. O único porém é que ficava no Harlem. Eu li os comentários e todos elogiavam o local e o dono (o Glenn Rice, super fofo e profissional, super indico para quem vai para NY) e diziam que era muito perto do metrô, o que era verdade: em 20 minutos eu chegava na faculdade! E vivi com privacidade uma vidinha bem feliz por lá.

Eu já escrevi aqui no blog sobre minhas descobertas e passeios durante esta viagem. Falei sobre o Brooklyn, sobre a moda masculina e o verão em NY e lojas de produtos personalizados. Mas foi muito bom fazer este post para lembrar daquele tempo ótimo que passei por lá, de todos os momentos bons que vivi e tudo que aprendi. E também para deixar estas dicas para quem se animar e se aventurar a fazer isto este ano. Vale muito a pena! Mesmo! Mesmo! Aproveita e entra no site da FIT para se programar.  As inscrições devem começar já, já.

Ah, um último reminder: Se você ficar o mês inteiro de julho por lá você vai pegar a liquidação do verão em todas as lojas, em todos os dias que estiver lá. No final de julho eles entram em Final Sale e os preços ficam simplesmente inacreditáveis. Para se ter uma ideia, fui na loja da Penguin no Bryant Park que é super chique e eles estavam com metade da loja com 40% off EM CIMA do preço promocional das peças (em geral já tinham baixado 60%). Então um tênis que custava 120 dólares, passou para 50 dólares na promoção e no final sale saía por 30 dólares. E, acredite se quiser, se você gastasse 200 dólares, você tinha um desconto de 75 dólares e pagava só 125 dólares. Não é de enlouquecer?! Então shopaholics, respirem calmamente! O meu host no Airbnb Glenn me disse uma frase que praticamente virou um mantra neste meu mês de férias: " É barato mas você ainda precisa pagar pelas coisas". Isso me ajudou a não comprar feito um maluco. Só como um louquinho talvez ;P

Minha barba crescendo pela primeira vez na minha vida. Só podia ser em NY :)



Nenhum comentário:

Postar um comentário