29 de outubro de 2012

A forma como a Moda pode ajudar um grupo de jovens africanos

Qual a ligação entre a hiper mega super badalada loja Colette, situada em Paris e um grupo de jovens na Serra Leoa? A moda, claro. Para quem não conhece, a Colette é uma loja de coisas legais. Acho que esta é a melhor forma de descrever uma loja que tem uma seleção super exclusiva de roupas, tênis, música, acessórios e tudo mais. No piso superior da loja tem uma lojinha supercool de cosméticos e um espaço para exibições bem transadinho. Na última vez que estive por lá, vi a exposição "Mom Dad" com fotos inusitadas dos pais do fotógrafo uberfashion Terry Richardson.

Ilustração da loja Colette

Foto da exposição "Mom Dad" da Terry Richardson na Colette



Bom, no primeiro semestre deste ano eles venderam com exclusividade uma coleção de tênis muito especial, nascida da parceria da marca K1X com a Folorunsho (este nome esquisito e exótico parece e é africano. Significa "nascido sob os olhos de Deus"), Eles descobriram um grupo de 20 jovens chamado Base Lion em Freemont, na Serra Leoa que viviam juntos, na marginalidade, como uma gangue. Superado o medo que os habitantes locais colocaram sobre a "temível" gangue, descobriram que na verdade, estes jovens viviam em um sistema de apoio mútuo de crianças que foram viver nas ruas muito cedo e que desenvolveram uma espécie de família, dividindo o mesmo espaço e convivendo juntos.

Um dos modelos comercializados

Um dos jovens com o tecido que criou para a coleção de tênis


Tocados pela história, começaram a pensar em ações que pudessem ajudar, de verdade, o grupo, sem partir para formas tradicionais de doação de dinheiro e outros recursos que eles consideram uma forma de humilhação que mantém a dependência de quem recebe a caridade. Ao invés disto, desenvolveram uma coleção de tênis exclusiva com 20 modelos feitos com um tecido tingido manualmente por cada um dos membros a partir de uma técnica manual chamada Batik. Para saber como funciona esta técnica, clique aqui.

Imagem de divulgação do projeto

Imagem de divulgação


Os modelos receberam o nome do seu criador e foram vendidos com exclusividade pela Colette por 130 euros o par. Parece caro mas o visual do tênis ficou realmente legal. E quem compra ainda ajuda a melhorar a situação de vida destes jovens: 100% do lucro foi enviado para o grupo Base Lion. Esta ação se juntou a outras semelhantes (como o lançamento de um livro de fotos) e melhorou muito a condição de vida destes jovens que conseguiram sair das ruas e alugar dois apartamentos na cidade. E todos puderam voltar a estudar. Nos vídeos abaixo vemos um pouco mais sobre o projeto. Vale a pena assistir. Fica a dica para quem quiser pensar em ações semelhantes no Brasil...Legal, né?!




Nenhum comentário:

Postar um comentário