31 de julho de 2012

MUBI, a rede social para apaixonados por cinema

Recentemente descobri a MUBI, uma rede social criada em 2007 para amantes do cinema em todo o mundo. Com o objetivo de disponibilizar filmes e conectar espectadores, o MUBI oferece uma plataforma onde o tema central das conversas é sempre o mesmo: cinema.

Lá, os usuários montam suas listas de filmes prediletos, "favoritam" (isto é um verbo?) filmes, atores, diretores, comentam e discutem sobre as últimas novidades do cinema ou sobre os filmes clássicos hiper antigos.



O legal do Mubi é que lá tem praticamente tudo. E é possível encontrar pessoas que curtiram ou pelo menos  estão dispostos a falar dos filmes que você gosta e que ninguém - ou quase ninguém - conhece.

O site foi criado especificamente com o objetivo de criar um espaço onde os filmes pudessem ser acessados e discutidos, independente de terem sido criados para ser populares ou não. No site, a frase que vi que melhor define a iniciativa é "your little cinema. Anytime, anywhere" (seu pequeno cinema. Em qualquer tempo ou lugar).

O vídeo abaixo foi feito para divulgar para os usuários de PlayStation como acessar o canal do MUBI e ver os filmes. É bem legal porque explica bem como funciona o site (coloquei a versão do vídeo em português de Portugal):



Navegando pelo site, é possível conhecer muito mais sobre cinema. Seja por filme, ator ou diretor,encontramos informações completas e super detalhadas. Os grandes diretores, por exemplo, têm páginas completas, com lista de filmes, biografia e comentários de usuários sobre os filmes.

Dentro do site tem dois projetos muito legais: o primeiro é o Notebook, uma revista digital sobre cinema. As matérias são super bem feitas e trazem novidades de todo o mundo (literalmente) sobre cinema.

O Garage é um projeto que reúne filmes curtos e independentes de todo o mundo. Lá os criadores podem postar os filmes e se relacionar com os usuários. É possível assistir a milhares de filmes independentes que, se não fosse o site, provavelmente nunca teríamos acesso.

O site tem uma identidade visual toda alternativa e eles até fizeram um vídeo bem legalzinho com esta atmosfera para divulgar o serviço lançado na Inglaterra:



Adorei a iniciativa! Eles oferecem um serviço de video streaming para assistir aos vídeos online com alta qualidade e sem precisar baixar nada. Basta assistir. O objetivo deles é inserir um novo filme por dia mas há, ainda, um longo caminho para percorrer. De qualquer forma, é uma opção muito legal, principalmente para os chamados "filmes de arte" que dificilmente são encontrados no NetFlix. Para assistir a um filme, você paga R$ 4,99  e tem a opção de acesso limitado a R$ 12,99 por mês.

Vale a pena conhecer! Já me conectei lá. Ah, e olha que legal, você nem precisa fazer cadastro. É só logar com o Facebook! Já até criei uma lista de filmes clássicos românticos. Mas só lembrei de 5. Quem lembrar de mais, pode incluir. Para acessar o site e a lista, clique aqui.


25 de julho de 2012

Nike se mostra Grande como nunca



A Nike acaba de lançar uma campanha muito bem pensada para divulgar as Olimpíadas, a "Find Your Greatness". É uma tentativa para continuar na cabeça dos consumidores em meio às Olimpíadas que estão sendo patrocinadas pela arquirrival Adidas. Apesar da campanha ainda ser nova e ainda não sabermos com certeza se ela dará certo ou não (o mais provável é que sim), é, com certeza, uma atitude muito mais inteligente e digna do que a da Globo que simplesmente faz de conta que nada está acontecendo.


O legal foi a sacada que eles tiveram de usar como tema os atletas amadores de todos os locais do mundo. E uniram tudo isto com o tema de Grandeza que é tão intimamente ligado com o espírito das Olimpíadas.

Até o momento, a Nike já lançou alguns vídeos na internet apresentando o conceito da campanha. Em especial, o vídeo abaixo apresenta o conceito geral da campanha. A produção do vídeo é excelente e a empresa já lançou em alguns idiomas, inclusive português.



A mensagem é bem bonita e positiva. E incentiva as pessoas a praticarem - ou pelo menos tentarem - esportes. Muito fofo o vídeo do menino criando coragem para pular. O texto é excelente: "greatness is a scary thing. until, it isn´t" (algo como "a grandeza é uma coisa assustadora. Até que não é mais"):



O que achei legal é que a campanha aproxima o espírito olímpico e dos esportes para as pessoas comuns. E o discurso de que "não precisa de um estádio" e "não precisa ser o melhor" não fere, pelo menos na minha opinião, em nada os Jogos Olímpicos. Mas é impossível não relacionar a campanha aos Jogos. E isto foi genial!

Segundo a agência W+K, responsável pela campanha, diversos outdoors serão espalhados pelo mundo e, em especial, em Londres, para divulgar o conceito "Find Your Greatness". É, a Nike conseguiu encontrar uma forma de se manter como um Grande, senão o maior, player no mercado de moda esportiva. Parabéns Nike! #findyourgrateness!


24 de julho de 2012

Cenas inesquecíveis de filmes no You tube



Quando era adolescente, eu tinha a mania de gravar todos os filmes e programas que eu gostava para poder assistir no futuro. Era uma forma de registrar tudo o que, de alguma forma, me tocava. Pensava que as fitas de vídeo estariam sempre disponíveis para que eu pudesse assistir novamente aqueles filmes tão especiais. Em pouco tempo, vi que estava errado e, em breve, tudo estaria em um novo formato e, então, passei a comprar DVD´s para garantir o acesso a estes filmes. Estava errado novamente!

O que me conforta é que foi muito bom estar errado pois o que temos hoje é muito melhor do que fitas VHS e DVD´s. Hoje praticamente tudo está disponível em sites específicos de vídeos, como o NetFlix, e música como o Rdio. Eu até já tinha feito um post sobre este novo tipo de serviço aqui no blog.





O legal é que, além do acesso aos filmes e vídeos, a internet possibilita ainda que visualizemos diretamente cenas específicas de filmes,disponibilizadas por usuários em sites como You Tube e Vimeo. Logicamente nem tudo está disponível mas achei muita coisa legal e decidi colocar algumas que considero superespeciais neste post.




É um top 5 de cenas que me tocaram quando assisti pela primeira vez os filmes e que, de alguma forma, me emocionam até hoje. A sensação funciona exatamente como disse lindamente Caio Fernando Abreu em sua crônica "Pequenas Epifanias" : é como se estendesse a mão “no meio da poeira dentro de mim” e pudesse “tocar também em outra coisa. Essa pequena epifania. Com corpo e face. Que reponho devagar, traço a traço, quando estou só e tenho medo. Sorrio, então. E quase paro de sentir fome” Olha que engraçado, percebi agora que ele usou “fome” com o mesmo sentido que Steve Jobs no discurso dele. Legal, né?! Para ler a crônica na íntegra, clique aqui.




Bom, voltando aos vídeos, listo agora cinco cenas que separei no You Tube. A primeira é do filme Philadelphia que revi partes dele ontem no Discovery. Quando assisti pela primeira vez ainda era aquele adolescente que gravava fitas de VHS. Acho que tinha uns 15 anos quando o filme passou no cinema. Hoje, quase 20 anos depois, é incrível ver a qualidade do filme. Com Banderas, Denzel Washington e Tom Hanks em atuações incríveis, o filme é triste mas tem uma mensagem sobre dignidade e respeito muito linda. A cena de Tom Hanks sentindo e interpretando a música “La Mamma Morta” cantada por Maria Callas é simplesmente inesquecível pela perfeita atuação de Tom Hanks:



 A segunda cena que separei é a do meu filme preferido, “Bonequinha de Luxo”. O título em inglês “Breakfast at Tiffany´s” é muito mais glamouroso e representa bem o espírito do filme. Acho que já assisti umas 50 vezes o filme e a cena final sempre me comove. Nela, o lindo George Peppard desmonta toda a persona que Holly (Audrey Hepburn simplesmente perfeita) tinha criado de mulher independente, ambiciosa e, em termos atuais, “gold digger”. Ela percebe seu erro e se rende. A cena é linda. Eu sei ela inteirinha de cor. E sim, é bem diferente do livro de Truman Capote. O livro também é incrível mas, mesmo assim, acho a cena e o filme inesquecíveis.




 Outro filme clássico que eu adoro ver e rever é o “Tarde Demais para Esquecer” (“An Affair to Remember”). Ele é bem romântico e até meio breguinha mas eu amo este filme. E é bem antigo, daquela época em que nem os beijos apareciam direito nos filmes. A cena que escolhi é uma das que sempre lembro do filme. É quando o bom vivant Nickie (vivido por Cary Grant) percebe que está apaixonado pela corretíssima Terry (personagem vivida por Deborah Kerr). Eles estão na casa da avó Janou na França e ela resolve tocar piano antes deles partirem. Deborah Kerr começa a cantar a linda música tema do filme em francês (naquela época, ainda era considerado chique e até algo comum entre os mais instruídos falar francês, inclusive nos EUA). E ele percebe que está apaixonado por ela. É uma cena linda!




Um dos filmes mais interessantes e inteligente que vi foi “Deuses e Monstros” (Gods and Monsters). Ele conta a história fictícia do fim de vida do diretor de Frankestein que deixou de trabalhar há muito tempo por problemas com a indústria do cinema e se sente ressentido com o rumo que a sua vida tomou. Fascinado pela beleza e rusticidade do jardineiro que contratou para a sua casa, ele entra em um processo de interiorização e passa a lembrar os fatos mais importantes de sua vida e os confronta com a sua vida atual. Esta foi a melhor atuação que eu já vi em um filme e lembro que fiquei muito revoltado quando Ian McKellen não ganhou o Oscar de melhor ator. A sua interpretação é simplesmente perfeita e é muito tocante ver a forma como ele atua durante todo o filme. O resto do elenco está ótimo também. Até Brendan Fraser que normalmente vemos em filmes como Múmias. Na cena que escolhi, ele conta sobre a primeira vez que se apaixonou por um soldado durante a I Guerra. Não é a mais legal do filme mas é bem bonita. A mais legal não encontrei no You Tube, quando James Whale (Ian McKellen) faz um discurso sobre a liberdade ser um vício como todos os outros. 




A quinta cena que peguei no You Tube é da série da HBO "Angels in America". Com apenas seis capítulos, Angels In America é um filme de quase seis horas de duração com um roteiro inteligentíssimo e super sensível e um elenco e atuações de tirar o fôlego. Com um background de NY no começo dos anos 80, época em que a AIDS explodiu no mundo, a série apresenta personagens com histórias bem interessantes como o gay que descobre ter AIDS e o namorado surta e o abandona e o troca por um republicano não assumido que é mórmon e é casado com uma mulher que tem delírios psicológicos o tempo todo. A cena que escolhi mostra 10 minutos intensos com interpretações de tirar o fôlego. Ela começa com o mórmon (o lindo Patrick Wilson) contando para a mãe que é gay (interpretada por Meryl Streep, não precisa de comentários) e ela não acreditando. Em seguida, o namorado do cara que descobriu que tem AIDS e o mórmon contam para seus parceiros que vão abandoná-los para poderem ficar juntos. É um dos momentos mais marcantes da série que, com certeza, vale a pena ser vista e revista. O texto é muito inteligente e especial.




Não resisti e coloquei uma sexta cena..rsrs..É a cena final do filme "As Horas". São menos de dois minutos. É um texto lindíssimo que foi feito pelo diretor do filme, representando a carta de despedida de Virginia Woolf para o seu marido:





"Dear Leonard, to look life in the face

Always to look life in the faceAnd to know it for what it is
At last, to know it
To love it for what it is,
And then.. to put it away

Leonard, always the years between us
Always the years,
Always the love,
Always.. the hours"

Em uma tradução livre, é algo como:

"Meu querido Leonard, encarar a vida de frente,
Sempre encarar a vida de frente
E conhecê-la, como ela é
Pelo menos, conhecê-la
Amá-la pelo que ela é
E então.. deixá-la de lado

Leonard, sempre os anos entre nós,
Sempre os anos, 
Sempre o amor
Sempre.. as horas"

O filme termina com esta cena. É um dos filmes mais poéticos que já vi!




Agora, mudando completamente de assunto, fiquei viciado em assistir no Vimeo aos vídeos feitos pelas Bibas from Viscaya parodiando o remake da novela Gabriela. Ou como eles chamam Gaybriela. Já são 4 capítulos, todos muito engraçados. Ah, o vocabulário é bem gay e quem não está acostumado aos termos pode ficar boiando em grande parte do vídeo. Mas vale a pena assistir.

Coloco aqui o primeiro capítulo. Para ver os demais, basta acessar o vimeo e digitar Gaybriela:





Gaybriela - Trava e Boneca ( Cap 01) from Las Bibas From Vizcaya on Vimeo.

Boa diversão!

19 de julho de 2012

Revistas de moda masculina no IPad

Uma das grandes vantagens de se ter um IPad é ter acesso a informações de maneira mais fácil e mais barata. Quem gosta de revista de moda sabe como elas custam caro e como demoram para chegar no Brasil. Depois do IPad, quase todas estão disponíveis a preços incríveis e em tempo real, o que é muito legal. Aqui, listo as revistas de moda para IPad que normalmente acesso. Elas estão disponíveis em uma série de aplicativos e, muitas delas, estão disponíveis em mais de um lugar. Vou colocar aqui os locais de onde acesso as revistas.
Capa da revista Another Man


Um aplicativo e site bem legal é o ZINIO. Com centenas de revistas no catálogo, é fácil encontrar o que você quer. Lá eu assino a Out por US$ 10 / ano, a Nylon Guys  por US$ 7/ ano. A Nylon normal custa US$ 10/ano e a Vogue Homme US$ 10 por 2 edições. Mas tem centenas de opções. Vale a pena navegar no site e ver o que tem por lá. O aplicativo deles é bem legal e fácil de usar. Ah, não precisa ter IPad para assinar. É possível ver as revistas pelo site mesmo. Mas aí não tem tanta graça.

Capa da Nylon Guys




Ainda no Zinio temos acesso a revistas mais especializadas como a Collezioni Sport & Street. Por 76 dolares temos a assinatura anual com 4 edições. Parece caro, mas quem compra esta revista no Brasil sabe o quanto ela custa. E o quanto ela é legal também.Tem ainda a Vogue Homme do Japão (6 dólares por edição), a WFM Men por 16 dólares 2 edições, a Close Up por cerca de 35 dolares cada edição. E ainda mais: GQ´s, Esquire e Men´s Health de vários países. Fontes de pesquisa de moda masculina sem fim.




Outro aplicativo incrível para quem trabalha com moda é o Exactly da Exact Editions. Lá é possível assinar revistas como a Another Man ou Another (10 libras por ano), Dazed & Confused (20 libras por ano), Tank (10 libras por ano) e outros títulos mais.
Capa da Vogue Homme Japan


Algumas revistas possuem aplicativos próprios onde você faz o download pela AppStore e depois compra as revistas. Isto acontece com a GayTimes, Sportswear International, NY Times, etc.

Capa da revista Sportswear International


Uma outra dica legal é usar o aplicativo do Kindle, o leitor eletrônico da Amazon. Lá você pode comprar os títulos pelo site da Amazon.com e ler no aplicativo. Ele é, na minha opinião, o aplicativo para livros mais legal do IPad. Os livros, revistas e jornais que você compra na Amazon são direcionadas para o seu IPad e, quando você abre o aplicativo, as revistas já estão disponíveis para download. Super fácil. E eles ainda criam um endereço Kindle para você enviar arquivos PDF que vão diretamente para o seu leitor. Tudo muito simples e prático!

Capa da Sport & Street


Tome apenas cuidado para ver se a revista ou jornal que você quer comprar ou assinar está disponível para IPad. Muitas delas só estão disponíveis para Kindle mesmo. Mas não se preocupe: é fácil ver porque quando você compra, ele pergunta para qual dispositivo vai enviar e não deixa você comprar se não for possível.

Além destas dicas todas, indico também o aplicativo ZITE para ler blogs e jornais online. Ele cria uma revista no estilo do FlipBoard com os assuntos escolhidos. É bem legal.

17 de julho de 2012

Dior: um milhão de flores para Raf Simons

Tem coisas que só poderiam acontecer no mundo da moda mesmo. Em um clima de glamour a la "Diabo Veste Prada", a Dior resolveu colocar milhares, talvez até milhões, de flores no cenário do desfile da sua coleção de alta costura Inverno 12. Sim, apesar da referência das flores não era a coleção de Primavera. Mesmo porque, acho difícil alguém usar esta referência depois que a frase do "Diabo Veste Prada" dita de forma tão irônica pela personagem Miranda Prisley: "Flowers? For Spring? Groundbreaking!" (Flores? Para a Primavera? Genial!) ficou famosa no mundo da moda.

Esta coleção é muito especial para a Dior por ser a primeira assinada pelo novo estilista da casa, Raf Simons. No vídeo abaixo, há o making of do cenário. Nele, percebemos que a empresa realmente decidiu investir pesado para mostrar a primeira coleção do designer:



O resultado ficou incrível! Acho que era impossível ficar indiferente a um cenário tão bem trabalhado e tão rico (em detalhes e em dinheiro, afinal, não deve ter sido nada barato fazer isto). Super luxo. Como a Dior.







É engraçado pensar que o desfile dura cerca de 20 minutos e que depois do evento nada disso terá mais valor. Será que as flores ficaram por lá? Ou foram reaproveitadas? Tentei descobrir mas não consegui encontrar nada a respeito.




Logicamente que a super produção não ficou só no cenário. No vídeo abaixo é possível ver o backstage do desfile. Vejam quantos profissionais são envolvidos na produção do desfile:



E o resultado final pode ser visto na íntegra no vídeo abaixo. No site da Dior é possível acompanhar todas as novidades da empresa, com um material muito bem elaborado. Vale a pena acessar. Principalmente para quem (como eu) é fã.




Lá também tem uma entrevista do Raf Simons sobre a sua estreia e sobre trabalhar numa empresa com um DNA tão forte e tradicional como a Dior:



Não sou um expert de moda mas acho que ainda não está muito calibrada a coleção do designer com a identidade da Dior. De verdade, acho que a Dior tinha um casamento perfeito com o Galliano. Mas gosto do Raf Simons e acho que as próximas coleções podem ser melhores. Let´s wait and see.

12 de julho de 2012

Meadham Kirchhoff, uma dupla hiper talentosa de estilistas de Londres


A primeira vez que ouvi falar de Meadham Kirchhoff foi quando o Thomas, o diretor da Vicunh@ Europa, disse que tinha decidido patrocinar a dupla na semana de moda de Londres. Como ele sempre é antenado no que é legal, achei que os estilistas realmente tinham potencial. E, alguns anos depois, vejo que ele realmente estava certo.

A dupla de estilistas

O desfile da coleção de inverno da dupla em Londres foi super bem comentado pela mídia na última semana de moda de Londres e apareceu como destaque da estação. E o sucesso foi bem merecido. O desfile é simplesmente incrível! Tudo nele estava perfeito: o styling, a cenografia, a música e, o principal, a roupa. 

Imagem desfile Winter 12

A dupla ousou bastante e apresentou uma coleção repleta de estampas de todos os tipos em diversos materiais, da pele ao jeans, e misturou tudo, mostrando que a individualidade é possível na moda e que, apesar de parecerem peças conceituais e malucas, elas funcionam sim. Basta ter a atitude certa para usar.

E atitude é o que não faltou no styling do desfile que contou com cabelos coloridos e na maquiagem com cores como verde e azul no rosto. E é impressionante dizer que “caiu como uma luva”. A expressão mega antiga é proposital para citar que a principal característica dos estilistas é tentar “executar design para a moda feminina que é considerado e executado da maneira antiga” (texto extraído do release oficial da marca).


Imagem de backstage do desfile

Este último desfile tem realmente um quê de clássico na postura das modelos que, combinada com os looks extravagantes e a irreverência de todo o desfile, deram um ar divertido e coerente a todo o espetáculo.

Styling ousado no desfile.
Orgulhosos do ótimo trabalho, os estilistas simplesmente colocaram o vídeo no site deles e nada mais. Você entra e só consegue assistir o desfile na íntegra. Vale a pena ver. Foi, sem exageros, um espetáculo! Veja o vídeo clicando abaixo: 



MEADHAM KIRCHHOFF / AW12 from osborne+bisoux on Vimeo.

Ou entrando no site deles.



Ah, a trilha também é excelente, misturando músicas como se fossem as roupas do desfile. Escrevi sobre a parceria com a Meadham Kirchhoff em 2008 lá no Vipreview, veja clicando aqui.

Imagem do desfile deles de 2008. Bem diferente, né?!



4 de julho de 2012

Inbound Marketing, um conceito novo no mercado

O crescimento absurdo que o conteúdo disponível na internet teve nos últimos anos deu origem a um novo conceito no mercado, o de Inbound Marketing. Este novo conceito oferece às empresas a oportunidade de criar vínculos mais próximos com os seus clientes.

A ideia do Inbound Marketing é simples: criar e disponibilizar conteúdo relevante para o seu público-alvo para que ele tenha interesse em navegar no seu site e se tornar um visitante fiel (e, consequentemente, mais próximo) do seu espaço na internet.

Eu já tinha falado deste tipo de ação aqui no blog, quando citei o exemplo do site "Só Entre Garotas" da Procter & Gamble (leia a matéria clicando aqui.). Eu também apostei nisto enquanto trabalhava no Marketing da Vicunha com o lançamento do site Vipreview. Só que na época não sabia que este tipo de ação fazia parte de um conceito que tinha nome e sobrenome e que já vem sendo discutido há algum tempo na internet.

Imagem promocional do site Só Entre Amigas da Procter & Gamble





Fiquei feliz de perceber que isto é uma tendência cada vez maior. Sobretudo com o grande crescimento das redes sociais (principalmente Facebook e Twitter) onde as marcas têm procurado, cada vez mais, criar conteúdos relevantes para se relacionar com os seus clientes no mundo digital.

Imagem do site Vipreview




O desafio é saber sobre o quê escrever, falar e publicar. Para isto é preciso conhecer bem o seu público. E ter paciência para ir ajustando o conteúdo conforme as ações vão rolando. O legal é que percebi que isto é uma tendência que também está afetando o mundo real: eu sempre leio a Nylon Guys, uma revista bem legal de moda masculina, e lá a Casio tem investido em um tipo de propaganda que funciona como uma espécie de Inbound Marketing só que em um veículo impresso. Como se fosse um merchandising na televisão, a Casio G Shock apresenta os relógios como se fossem matérias da própria revista ao invés de anúncios tradicionais.




Acredito que a empresa faça isto para se aproximar do consumidor, para que ele preste mais atenção ao anúncio. E acho que eles têm sido bem sucedidos, afinal, já fazem isto há algum tempo. Além disto, o trabalho está muito bem feito e as matérias pagas aparecem de forma super harmônica na revista.




Mas fica a pergunta? Seria esta uma forma de Inbound Marketing no mundo físico? Ou merchandising impresso? Pelo ideal do conceito, acredito que esteja mais próximo do Inbound Marketing mas não é possível afirmar com certeza. Coloquei as 4 páginas do "anúncio" que a Casio fez na edição de junho 12 da Nylon Guys. Como você classificaria esta ação? Comente abaixo ;)




4 páginas de anúncio da Casio G Shock na Nylon Guys - jun 2012

2 de julho de 2012

Tommy Nutter, uma lenda na moda britânica e mundial

Devo confessar: quando fui à exposição de Tommy Nutter no museu de Moda e Têxtil de Londres não tinha a menor ideia de quem ele era. Mas fiquei impressionado com a qualidade do trabalho apresentado na exposição e pesquisei mais sobre ele.



Tá certo que demorou um pouco para eu colocar aqui no blog (tipo quase um ano..rs) mas coloquei. Durante a exposição tirei várias fotos das peças que ele criou durante sua impressionante carreira.



Pesquisando sobre Nutter na internet, descobri que o que já tinha percebido pela exposição era verdade: ele foi uma pessoa que revolucionou o mundo da alfaiataria masculina. Trabalhando no número 35 da rua mais tradicional de Alfaiataria em Londres, a Saville Row, Tommy apresentou um design inovador em cortes convencionais, mostrando ao mercado e ao mundo que é sim possível inovar no mundo da moda masculina. 



Ternos com modelagens inusitadas, cores que refletem o espírito jovem da época em que foram elaborados, pequenos detalhes que fazem toda a diferença. Tudo está presente no trabalho de Tommy que teve como reconhecimento ter vestido nomes da moda como Mick Jagger no auge de sua carreira (Tommy fez, inclusive, o vestido de casamento de Bianca Jagger), Elton John e os Beatles. O ponto mais alta de sua carreira (segundo ele mesmo) foi ter vestido 3 dos 4 integrantes do Beatles na capa do lendário álbum Abbey Road. O único que não estava com o modelito assinado por Tommy Nutter foi George Harrison que preferiu usar jeans:


Um dos últimos sucessos de sua carreira foi o figurino do Coringa interpretado por Jack Nicholson no Batman de 1989. O lado irreverente da personagem casou perfeitamente com o lúdico e imaginativo trabalho do estilista, como demonstra a foto abaixo:


A exposição no museu de Moda e Têxtil de Londres foi muito bem pensada e uma delícia de ser visitada. Lá tirei uma série de fotos e escolhi algumas para este post (as 3 que estão no começo da matéria e as diversas no fim). Fiquei muito feliz pela oportunidade de conhecer o trabalho de um estilista que, com certeza, influenciou e influenciará diversos criadores da moda masculina. O vídeo abaixo apresenta a abertura da exposição:



Ele, infelizmente, morreu em 1992 mas o seu principal parceiro de negócio Edward Sexton continua vivo e na ativa. Encontrei um vídeo dele ensinando como fazer um nó de gravata, olha que fofo:


Vale a pena conhecer o trabalho de Tommy e reconhecer a sua importância pela originalidade e coragem de inovar num mercado tão marcado pelo convencional e tradicional.

Aqui estão as diversas fotos que tirei durante a exposição. Espero que gostem!