9 de abril de 2011

Virginia Woolf, uma escritora ímpar...

Parece que agora resolvi descobrir os clássicos.. na verdade, como fiquei sem muito tempo para ler livros de romance nos últimos anos, estou tirando um pouco do atraso.. Num post anterior escrevi como fiquei feliz ao descobrir Dostoiévski e agora, feliz, escrevo que também descobri Virginia Woolf.

Virginia Woolf


Devo confessar, foi uma verdadeira batalha conseguir começar a ler "Mrs. Dalloway". Tentei ler umas três vezes sem sucesso mas agora, finalmente, consegui. A dificuldade vem da maneira única como ela escreve as suas histórias. A narrativa surge como se estivéssemos nos pensamentos das personagens e não apenas de uma personagem mas de várias durante toda a história. Então, para entender o que se passava no livro, é preciso muita atenção e a paciência de ler algumas 20 ou 30 páginas sem entender direito quem é quem e o que está acontecendo.. mas, afirmo com certeza, vale a pena! E muito!!

Fiquei apaixonado pela forma como ela escreve.. lendo o livro, temos mesmo a sensação de estar nos pensamentos das personagens.. é bem esquisito isto. E o mais legal é que a história é simples, bem simples, e o que importa é todo o dilema que as personagens passam. É isto que tornou este livro tão especial, tão próximo.



Clarissa Dalloway é uma mulher de classe alta, com cinquenta e poucos anos, casada e com uma filha. Ela resolve fazer um jantar em sua casa e todo o livro se passa durante o dia em que ela planeja e prepara a festa.

Aparentemente com uma vida perfeita, Clarissa sente um enorme sentimento de dúvidas e insatisfação com o rumo que sua vida tomou. Ao planejar a festa, relembra momentos vividos na sua juventude, o que acentua seus questionamentos. Além de Clarissa, o livro traz diversos personagens muito interessantes que, de certa forma, complementam a história, mostrando diversas formas que as pessoas encontram na vida para lidar com as incertezas da vida: seu marido Richard, seu ex namorado Peter, sua amiga Sally, com quem tem uma espécie de atração amorosa e relação extremamente íntima e até Septimus, um homem que volta da guerra com sérios problemas de saúde mental, ouvindo vozes e que, sem resistir mais, acaba se suicidando, um interessante paralelo com a vida pessoal de Virginia Woolf..

O que achei incrível no texto dela é a atemporalidade, afinal, estes questionamentos sobre o que fazemos de nossas vidas sempre existiram e vão sempre existir. Além disto, a linda forma como ela mescla metáforas com a narrativa do texto. Em uma cena onde ela re-encontra o seu ex Peter depois de anos, a conversa dos dois é apresentada como se fosse uma batalha e, em seguida, as sensações de Clarissa. Abaixo, coloquei esta parte do texto pois ela ilustra bem o estilo de todo o livro:

"Bem - e que tens feito? - perguntou-lhe. Assim, antes do início de uma batalha, os cavalos escarvam o chão, empinam a cabeça..."  E o diálogo segue por algum tempo, até que ele diz:
"Estou amando. Estou amando uma jovem na Índia - tinha depositado a sua guirlanda. Clarissa podia fazer o que quisesse dela.
_ Amando! - disse ela. Que ele, naquela idade, com o seu pequeno laço de gravata, ainda pudesse ser devorado pelo monstro. E tem o pescoço descarnado; E suas mãos são vermelhas; E é seis meses mais velho do que eu. E Clarissa considerou a si mesma; mas no seu coração ela bem o sentia:ele está amando. Tem isso, sentiu. Ele está amando!
Mas o indomável egoísmo que desarma sempre os que lhe opõem, o rio que diz:  adiante, adiante, adiante; embora saiba que não pode haver nenhuma finalidade para nós, mas: adiante, adiante, adiante; esse indomável egoísmo lhe coloriu as faces.; rejuvenesceu-lhe o olhar, deixando-a ali corada e de olhos brilhantes., com o vestido sobre os joelhos e a agulha na extremidade da seda verde, tremendo. Ele estava amando! E não a ela. Outra mais jovem, naturalmente".



Achei muito interessante esta forma de escrever.. e também todo o conteúdo da história que é focada na dúvida e insegurança que Clarissa ainda tem em relação ao rumo que sua vida tomou, mesmo que ela já tenha passado dos cinquenta anos e desempenhe um papel ativo na sociedade.

Além de Clarissa, outras personagens da história passam por outras inquietações. E Virginia aproveita para apresentar diversos pensamentos sobre a forma como as pessoas encaram a vida. Abaixo, coloco um pensamento de Peter (o ex de Clarissa) sobre os "riscos" de seu novo amor:

" mas a verdade é que agora, aos cinquenta e três anos, quase que não se precisa dos outros. A vida em si, cada momento da vida, cada gota sua, aqui, neste instante, agora, ao sol, era suficiente. Demasiado, até. Uma vida inteira, agora que está adquirido o poder, era demasiado curta para se lhe gozar todo o sabor; para extrair-lhe cada grama de prazer, cada sombra de sentido; uma e outra coisa muito mais consistentes que antes, muito menos pessoais. Impossível que ele pudesse sofrer de novo como Clarissa o fizera sofrer. Passava horas e dias sem pensar em Daisy"

Note que é uma forma bem distinta de pensar de Clarissa. E é exatamente por isto que fiquei encantado com o livro. E com Virginia Woolf que, mesmo tendo lido somente este livro até agora, tenho certeza que vou achar as suas demais obras, no mínimo, interessantes.

Após ler o livro, revi o filme "As Horas" que é inspirado no livro e fiz um post no blog "Batatas de Sofá"... Leia Aqui...

2 comentários:

  1. Fábio, adorei conhecer Mrs. Dolloway por você. Depois desse post fiquei com muita vontade de devorar o livro. Acho que vou dar uma pausa nos russos. Você me empresta?

    ResponderExcluir
  2. Fico contente que tenha perpetrado por esse campo minado chamado Virginia Woolf, falo assim porque li as ondas da mesma escritora, o que é pesadíssimo logo são os pensamentos de 5 jovens que crescem juntos e vão até a velhice, algo primoroso e esmero. Dizem que quando a escritora terminou as ondas ficara com tamanha estafa e fora se recolher em férias, em seguida começara a escrever os pensamentos de um cachorro fabulado. Presenteei um queridíssimo amigo alagoano apaixonado por Lispector com os seus contos completos, é também indicadíssimo. Ótimas leituras!

    p.s. comentei em Mcqueen

    p.p.s estou te seguindo!

    ResponderExcluir